Maio 3, 2018

História

CANIL BARÃO DOS FILAS
A história do início da formação do cão Fila Brasileiro remonta ao idos do Brasil Colônia, há aproximadamente 4 séculos e vem acompanhando a própria evolução do país.

                Resultado de cruzamentos sem controle entre raças como o Mastiff Inglês, o antigo Buldogue, o Bloodhound e outros cães nativos, o Fila foi sendo formado. Nessa formação / fixação de características contribuíram alguns importantes elementos como as florestas, as onças, as fazendas de gado e o próprio Brasileiro.

                No início da colonização, nosso país era coberto de matas e florestas. Nelas habitavam as temidas onças. Quando o homem começou o processo de desmatamento para erguer vilas, cidades, abrindo pastagens para o gado, tornou-se necessário a presença de um cão que além de ajudar nessa lida com o gado, ainda os protegesse das temidas onças. Suas características foram sendo forjadas nesse contexto árido e inóspito. Quando acontecia o embate entre o cão e a onça, essa quando encontrava cães de pele mais grossa e solta não conseguia fixar suas garras. E o cão escapava, ferido com grandes cortes, mas com vida. Ao se reproduzir transmitia aos seus descentes a caracterísitca de pele solta e grossa. Para se esquivar do famoso “pulo do gato”, somente cães com grande agilidade e flexibilidade de movimentos conseguiam se esquivar. Sobreviviam e transmitiam aos filhos aquela flexibilidade de dorso e de articulações, a elasticidade de tendões e articulações, que até hoje lhe conferem o aparente caminhar desengonçado, o característico passo de camelo.
                Mas era também necessária extraordinária coragem para enfrentar os animais selvagens,  principalmente o felino. Estes também transmitiam, ao se reproduzir, toda essa coragem e valentia. Enfim, sobreviviam aqueles animais com méritos mentais e físicos.
   Enquanto duraram as florestas e as onças, o Fila Brasileiro se formou e sobreviveu. Depois disso quase foi extinto, tornando-se “desnecessário”.
Apenas em Minas Gerais, onde se deu outro ciclo com a extração de ouro e pedras preciosas, esse cão ainda tinha serventia. Depois, com o ciclo da pecuária, mais 

 

especificamente no sul de Minas, esse cão foi preservado em toda sua magnitude, com toda a pureza e carecterísticas que o fazem um dos melhores cães de guarda, companhia e trabalho do mundo.

E foi exatamente no sul de Minas Gerais, em meados da década de 70, na famosa cidade de Três Corações, minha terra natal e também do REI PELÉ, que tomei contato com dois orgulhos da criação nacional: o cavalo Mangalarga Marchador, raça essa desenvolvida pelo Barão de Alfenas – cidade também do Sul de Minas, e com essa maravilhosa e apaixonante raça, o Fila Brasileiro.

Frequentando fazendas de amigos e parentes, passeando e  tocando gado sobre o lombo de cavalos Mangalargas Marchadores, ficava impressionado com aqueles cães, por seu porte, sua força, sua rusticidade, seu temperamento e suas habilidades na lida com  o gado.

De lá pra cá, em contato com o verdadeiro Fila Brasileiro essa admiração foi uma crescente, fato esse inversamente proporcional ao que ocorria no resto do país, onde o querido o Fila Brasileiro era miscigenado e descaracterizado.

Foi por muita admiração e com o intuito de ajudar a preservar esse verdadeiro patrimônio nacional que em 2000 criei o Canil Barão dos Filas.

O Canil Barão dos Filas conta com matrizes e padreadores das melhores  e mais puras linhagens tais como Caramonã, Mundeo, Serras de Minas, Guardiães do Caracu, Tripuí e Venda do Chico e possui instalações modernas, funcionais e confortáveis para os cães.

Tudo isso em uma região belíssima da Grande Belo Horizonte, na Serra do Rola Moça, a apenas 25 km do centro da capital mineira.

Disponho de ninhadas eventuais, para criadores com alto grau de exigência nos termos do verdadeiro Fila Brasileiro.